Financier Academy

  /  Insight Financier   /  Ouro

Ouro

Disclaimer:
Quando o meu amigo de longa data Gilvan Bueno me pediu para escrever um artigo sobre o ouro, inicialmente não me senti apto para encarar esta responsabilidade. Levo muito a sério o assunto opinião no mercado financeiro. Acho que todo mundo tem opinião pra tudo, principalmente em um mercado de alta na bolsa brasileira como o atual e muitas vezes me incomodo com o excesso de cinismo de muitos gestores em se vangloriar de seus resultados atuais e esquecer (ou fingir que esqueceram) dos anos difíceis que já passaram, dos erros que cometeram e principalmente parecem mostrar que não estão suscetíveis a mais anos ruins. De repente, todos as teses de investimento tem muita ´´assimetria de preço´´.

No evento da XP conversando com gestores, parece que todos eles tinham pelo menos 5 investimentos com assimetria de preços. Todos com muita convicção de suas teses. Se somar a opinião de todos eles, existe assimetria na bolsa inteira e por algum motivo somos estúpidos e os preços estão teoricamente todos com divergência no seu valor justo. Nestes últimos meses, tem sido difícil achar alguém que traga análises mais duras da realidade. Que consiga dar um banho de água fria em todos os gestores pra que eles entendam que a longo prazo, é praticamente impossível que todos sejam acima da média como se acham. Por definição se todos forem acima da média, a média seria bem mais alta. Talvez pela ponderação do Ibovespa muitos fiquem acima, mas e se eles forem ter uma análise menos cínica, será que eles realmente estarão melhor que os demais? Será que seus investimentos realmente carregam menos riscos intrínsecos que os de seus pares?

Enfim, falei muito apenas para deixar claro que não gosto de vir aqui dar opinião para vocês. Acho que investimento é algo muito particular e cada um tem um perfil. Um ativo que faça muito sentido pro meu perfil, pelo prazo que eu carrego, pelas minhas estratégias de saída, pela composição do meu restante de portfólio e principalmente para o que eu busco, talvez não faça nenhum sentido para vocês.

Mas meu amigo me perturbou e eu vou escrever sobre ouro.

Não sou especialista, muito longe disso. Não sou muito profundo nas minhas análises. Não estudei a história econômica mundial, muito menos a brasileira. E embora esteja sempre estudando algo, talvez daqui a 20 anos me sinta no direito de ter uma opinião mais madura sobre algo.
Antes que alguém venha encher o saco com #skininthegame, tenho de sobra. Mas como disse anteriormente, tenho de sobra seguindo as regras que eu gosto e confio em seguir. Regras essas que jamais serão aplicáveis a vocês.

Então espero que vocês curtam o breve material que estudei sobre ouro. O Gilvan curtiu, acho que por isso que ele me pediu para escrever.

 


 

Meu objetivo com este estudo foi entender um pouco das dinâmicas do mercado do ouro e acabei identificando um fator pouco abordado nele, que talvez ganhe mais atenção nos próximos anos (quando digo próximos anos, pode ser 5, 10, quem sabe 15 anos). Este fator tem um potencial gigantesco! CHAMA-SE ESCASSEZ!

Vamos começar por alguns fatos sobre a demanda:

  1. A demanda anual de ouro atualmente gira em torno de 4.300 toneladas.
  2. Por onde está distribuído o Ouro do mundo: 48% Joias, investimentos privados 21%, governos 17%, outros 14%.
  3. Aproximadamente 50% da demanda vêm do mercado de joias. Um mercado maduro se considerado o mundo como um todo.
  4. A demanda por ouro pelos bancos centrais nunca esteve tão alta. Principalmente puxados por Russia e China.

 

 

Agora vamos falar sobre a oferta:

  1. A oferta no mercado de ouro é igual a demanda. Ou seja, 4.300 toneladas anuais atualmente.
  2. Dessa quantidade, 30% vem de ouro ´´reciclado´´. Ou seja, ouro que tinha alguma utilização e retornou pra cadeia para ser revendido. Os demais 70% são Ouro das reservas já mapeadas.
  3. Já foram extraídas aproximadamente 190.000 toneladas de ouro do mundo. Além disso, existem mais 54.00 toneladas de reservas mapeadas e economicamente viáveis para serem exploradas.

 

Agora que já deu pra ter um cheirinho da demanda e da oferta, vamos fazer algumas contas bem básicas sobre o TAMANHO do mercado de ouro em VALOR DE MERCADO:

  1. O valor de mercado do ouro no mundo inteiro é de USD 10 trilhões. Basta multiplicar a oferta de ouro existente no mundo, pelo preço do ouro.
  2. Se considerarmos, apenas os investimentos privados (ETFs e outros), chegamos a USD 2,1 trilhões de valor de mercado.
  3. O total de assets under management no mundo gira em torno de USD 80 trilhões. Ou seja, no máximo 2,5% dos ativos sobre gestão estão alocados em ouro. Certamente é bem menos que isso, pois ETFs em ouro que seria uma das formas mais fáceis de alocar capital em ouro, representam um valor de mercado bem inferior que estes USD 2 trilhões. Ou seja, os fundos alocam pouco em ouro. Isso é um fato.

E por fim, vamos falar sobre o assunto que mais gosto: ESCASSEZ.

  1. Quando escutamos sobre ouro, sempre vêm palavras do tipo: proteção, reserva de valor etc.
  2. Mas vamos parar para pensar: reserva de valor, proteção. Isto deveria ser ligado a algo escasso, concordam? Só que ninguém fala o quão escasso é o ouro. Já pararam pra pensar nisso? Imagina, se falassem que o ouro é reserva de valor, mas na realidade ouro tivesse reservas mapeadas pros próximos 300 anos. Seria estranho ne?!
  3. Vamos às contas do tamanho da escassez de ouro: São 54.000 toneladas de reservas mapeadas e economicamente viáveis para extração. Da demanda anual por ouro de 4.300 toneladas, 70% vem dessas reservas, ou seja, 3.000 toneladas por ano. Ou seja, são 3.000 toneladas retiradas anualmente das reservas de 54.000 toneladas. A oferta de ouro DURARIA MENOS DE 20 ANOS. Isto significa dizer que seus netos ou filhos talvez vivam em um mundo onde o ouro será efetivamente raro ou de difícil acesso.
  4. Repetindo menos de 20 anos!!!!! Isto significa, que daqui a 10 anos, talvez já tenha gente alertando que o Ouro não vai durar mais de 10 anos. Já pararam pra pensar nisso?!

Queria fazer alguns adendos:

  1. Conforme o preço do ouro sobe, mais reservas podem se tornar economicamente viáveis.
  2. Conforme o preço do ouro sobe, mais pessoas podem querer vender seu ouro e isso alimenta o mercado de “reciclagem” de ouro.
  3. Existem reservas novas que podem ser encontradas, embora estas descobertas estejam cada vez menos recorrentes.

 

O ponto do meu estudo, é que muitas pessoas consideram o ouro um ativo de proteção contra os juros negativos ao redor do mundo, crises, QE desenfreado, incerteza, potencial desvalorização cambial etc. Fato é, vejo pouquíssimas pessoas falando da escassez do ouro em números objetivos. Isto pode mudar muito a forma como o ouro é visto em investimentos.

Não sei porque o mercado financeiro não fala destes números. Sou humilde e reconheço: será que estou fazendo algum erro GROTESCO na minha conta? Por isso gosto de ter PRUDÊNCIA.

Mas meu ponto inicial do estudo era: se algo é reserva de valor e é dito como tendo oferta limitada, QUANTO seria esta oferta limitada. Nunca ninguém tinha me quantificado isso e tentei fazer uma conta bem superficial.

Gosto demais da ideia de escassez para daqui a 20 anos. Significa que isto será um processo lento de amadurecimento. Dá pra surfar esta onda com paciência e com uma alocação bastante passiva.

Queria falar bem rápido sobre os ciclos do ouro nos últimos anos. Ou seja, qual o padrão de alta do ouro? O que esperar do ouro? O que não esperar do ouro? O passado pode ser uma arma importante para ANCORAR nossas expectativas. É uma referência, longe de eu estar afirmando que vai se repetir:

  1. O ouro trabalha com ciclos longos. Normalmente de 10 anos ou mais.
  2. Até 1970, quando o ouro era usado como lastro dos bancos centrais em uma razão segura e controlada que garantisse o controle monetário, o preço do ouro em dólares vinha mantendo certa proximidade como o valor do dólar. Basta ver a estabilidade durante tantos anos no gráfico.
  3. Com o fim do Bretton Woods, o ouro começa o primeiro ciclo de alta, que dura de 1971 até 1981 e o preço sobe de USD 36 para USD 675. Algo como 35% de retorno ao ano.
  4. De 1981 até 2001 o ouro vai de USD 675 para USD 270. Queda total de 60%. Queda anual de aproximadamente 4,3%.
  5. De 2001 até 2012, o ouro sobe de USD 270 até USD 1900. Algo como 19% ao ano de alta.
  6. De 2012 até 2019, o ouro cai de USD 1900 até USD 1000 e fica entre USD 1000 e USD 1300. Ou seja, uma queda máxima novamente de aproximadamente 50%.
  7. Em 2019, o ouro começa um novo momento de alta nos preços, iniciando um movimento de alta claramente com mais força que os que vinham ocorrendo entre 2012 até 2019.

Meu ponto é:

  1. Não esperem ficar ricos com ouro mas se vocês acertarem o movimento, quem sabem não conseguem ter mais de 15% ao ano de rentabilidade. Isso é de se invejar em um mundo com taxas de juros negativas.
  2. Não estou dizendo que ouro vai subir menos ou mais que a bolsa. Apenas estou dizendo que entre ter tudo em bolsa, prefiro ter um pouco em bolsa e um pouco em ouro.
  3. Não se esqueçam: os ciclos de alta do ouro 1970-1980 e 2002-2012 coincidiram com bons anos para a economia brasileira.
  4. Entre aplicar em juros cada vez menores como muitos estão fazendo, prefiro não ter o risco de calote e o risco de alta dos juros. Prefiro ter os riscos intrínsecos do ouro na minha carteira.
  5. Sobre como seguir este movimento? O ouro se move pelo gráfico mensal. Espere movimentos semestrais ou anuais. Tenha paciência. Enquanto os topos e fundos forem ascendentes no gráfico mensal eu não venderia.
  6. E por fim, eu jamais perco mais de 3% do meu capital total em uma posição. Tenha prudência e admita que o mundo nunca vai rodar no seu script.

 


Luiz Fernando Sallum
Perfil híbrido com forte viés nos ecossistemas como Operações, Desenvolvimento de Negócios (Business Development) e Finanças. Experiência tanto como empreendedor quanto em economia real, nos segmentos de Bens de Consumo (Alimentos), Banking, Retail (Varejo) e E-Commerce.

 

Leave a comment

User registration

Reset Password